Início Biomedicina Microbiologia: um breve histórico

Microbiologia: um breve histórico

3074
1



Microscópio desenvolvido por Robert Hooke

História da Microbiologia

Área da ciência que investiga o mundo microscópico. A partir dos estudos realizados por Antonie van Leeuwenhoek e Robert Hooke, este ramo da ciência desenvolveu-se progressivamente e o aprimoramento do microscópio óptico foi fundamental para a descoberta do universo microscópico. A microbiologia estuda as formas de vida microscópica e sua inter-relação com o mundo macroscópico. Devido à complexidade e importância dessa ciência, didaticamente, a microbiologia  é subdividida em:

– Genética Microbiana

– Microbiologia Médica

– Microbiologia Clínica

– Fisiologia Microbiana

– Microbiologia Veterinária

– Microbiologia Industrial

– Microbiologia Ambiental

– Microbiologia dos Alimentos

– Microbiologia Espacial

– Microbiologia Evolutiva

– Aeromicrobiologia (estudos dos micro-organismos que são transportados pelo ar)

Registros ligados ao estudo da microbiologia são datados desde 1675, quando na Holanda, Antonie van Leeuwenhoek descreveu “pequenos animais” encontrados na água da chuva, observados por meio de seu microscópio caseiro. Estes “animalículos” foram posteriormente identificados em sua maioria como protozoários. No decorrer do século XVIII novos micro-organismos foram identificados com o auxilio dos microscópios, contudo, ainda não se estabelecia relação biológica destes organismos com outros seres. Entretanto, o upgrowth da microbiologia como ciência data de 1841, quando empiricamente Ignaz Semmelweis em Viena, constata a possibilidade de transmissão interpessoal de agentes microscópicos por contato direto e a implicação destes em doença para o ser humano. O médico relacionou a falta de higienização das mãos durante realização de partos com o grande aumento de sepse puerperal, sendo que após instituir medidas higiênico-sanitárias ele observou drástica redução das mortes também em outros hospitais.

Ainda neste século, grandes descobertas contribuíram significativamente para o conhecimento da microbiologia como os estudos de Pasteur em 1861 no papel dos fungos na fermentação anaeróbia, a publicação da primeira classificação das bactérias em 1875 por Ferdinand Cohn, identificação da Neisseria gonorrhoeae como o primeiro patógeno causador de uma doença crônica por Albert Neisser em 1879, desenvolvimento de meios de cultura, colorações microbiológicas, isolamento do bacilo da tuberculose por Robert Kock e a publicação em 1884 dos postulados de Koch, os quais norteiam atualmente o conceito de doença infecciosa. Diversos outros micro-organismos foram descobertos posteriormente.

 A partir do século XIX, uma nova fase do desenvolvimento da microbiologia se inicia em 1929 com a descoberta da penicilina por Alexandre Fleming onde, través do isolamento acidental da substância produzida por fungos Penicillium que contaminaram sua cultura de S. aureus e inibiram o crescimento bacteriano. Inicia-se em 1939 a terapia antimicrobiana em humanos com a descoberta das sulfonamidas por Gerhardt Domagk e, em 1940 ocorre a produção em grande escala da penicilina para uso clínico.

 TRABULSI, LR et al. Microbiologia. 3.ed. São Paulo: Editora Atheneu, 1999.

ROSSI, F; Andreazzi, DB. Resistência Bacteriana: Interpretando o Antibiograma. São Paulo: Editora Atheneu, 2005.

FINOTTI,  Carolina, MDC. Microbiologia. www.portaleducacao.com.br